Datafolha diverge de Ibope e encolhe Haddad. Só Haddad.

Captura de tela inteira 20092018 004759.bmp
Haddad concede entrevista a Renata Lo Prete, no Jornal da Globo, e dessa vez consegue falar. Ele reconheceu a importância da figura de Lula na transferência de votos, mas lembrou a força do PT, repetiu que não haverá indulto ao ex-presidente (pauta criada pela mídia)  e disse que desconfia de “dois pesos e duas medidas” nos processos contra o PT e os demais partidos.

Fernando Haddad concedia uma entrevista ao Jornal da Globo – civilizadíssima sob o comando da âncora Renata Lo Prete, sem as interrupções seriais de William Bonner e Renata Vasconcellos no Jornal Nacional, alguns dias antes -, na madrugada de quinta, 20, enquanto o Datafolha vazava nos primeiros minutos do dia sua mais recente pesquisa de intenção de voto para a eleição presidencial. A pesquisa do Datafolha foi feita na terça, 18, e quarta, 19, enquanto a do Ibope, divulgada na véspera, aferiu a intenção de voto do eleitor entre domingo, 16, e terça, 18. Há, portanto, a coincidência de um dia entre as pesquisas, com a vantagem, em termos de atualidade, por assim dizer, para o Datafolha em relação a quarta. Ainda assim, a pesquisa mais recente parece ter um delay em relação à outra – o que certamente será explicado por Carlos Augusto Montenegro e Mauro Paulino como metodologia, conjuntura, etc. Afinal, a margem de erro é a mesma. Fato é que no Ibope não havia mais dúvida e Haddad, subindo em uma semana 11 pontos, alcançava 19%, deixando Ciro estacionado em 11%, praticamente cravando um segundo turno com Bolsonaro (28%). No novíssimo Datafolha, Bolsonaro tem os mesmos 28%, mas Haddad tem 16% e Ciro 13% – portanto, tecnicamente empatados. Entre uma pesquisa e outra, oito pontos de diferença viraram três. Não há diferença significativa entre as duas pesquisas em se tratando dos demais candidatos. Como nenhum fato novo explica um encolhimento de Haddad em um dia, há que se perguntar: quem está errado?

Captura de tela inteira 20092018 022428.bmp
Imagem postada por Jair Bolsonaro no Twitter. Dessa vez ele não falou, mas procurou passar para o eleitorado uma ideia de progressiva melhora, o que é essencial para que não o vejam como incapacitado e descarreguem o voto útil em Alckmin ou Marina.

Os intervalos das pesquisas não são idênticos – mas são próximos -, e é possível comparar  os espaços de tempo – levando em conta que o Datafolha tem uma pesquisa a mais. No Ibope, Haddad tinha 8% (11/09) e cresceu para 19% (18/09). No Datafolha, Haddad tinha 9% (10/09), data parecida, subiu para 13% (14/09) e, em seis dias, chegou a 16% (20/09). Não bate. Já no caso da rejeição, as pesquisas coincidem. No Ibope, Bolsonaro tem rejeição de 42% e Haddad de 29%. No Datafolha, 43% e 29% respectivamente. A diferença é que no Datafolha Marina tem rejeição maior que de Haddad (32%) e no Ibope menor (26%). Ainda assim, são 6% de diferença entre as pesquisas, acima da margem de erro. Nas simulações de segundo turno, e ficando apenas nos favoritos, o Ibope aponta um empate entre Haddad e Bolsonaro (40% cada) e Ciro (40% e Bolsonaro (39%). No Datafolha, Ciro ganha de Bolsonaro por boa margem, 45% a 39%. E Haddad e Bolsonaro empatam (41%).

Captura de tela inteira 20092018 022038.bmp
Ibope x Datafolha: repare que o encolhimento expressivo, na pesquisa mais recente, é apenas de Haddad. Alguém vai ter que explicar isso. Arte: Reprodução UOL.

Em outras palavras, pelo Datafolha/TV Globo, Haddad ainda não descolocou de Ciro e Ciro tem mais chance no segundo turno. E vem aí o Vox Populi para desempatar a peleja.

 

4 comentários em “Datafolha diverge de Ibope e encolhe Haddad. Só Haddad.

  1. ALoW! tenho dito!!! O Golpe estaria tentando turbinar (induzindo o voto útil de marina, Alkimico, Boulos e até de parte simpatizante a Lula) para um candidato de “Centro” (Ciro – cavalo de tróia encarnaria o antipetismo) do Golpe que venceria BOZO e o único com chances reais eleitorais para chegar no segundo turno e vencer o HADDAD (Lulopetismo). Simples assim! 😎

    Curtir

  2. É normal! Data folha nunca foi honesto! Até os cachorros da minha rua sabem disso! É um instituto da direita golpista é parte importante do PIG! Sem Globo, Folha, JP e outros dejetos de banqueiros ladrōes a direita e um monte de esterco são difíceis de ser distinguidos. Se o monte de esterco for novo e limpo às vezes dá para distinguir!

    Curtir

  3. Vejamos o cronograma das pesquisas Ibope e DataFolha, admitindo-se que ambas são igualmente confiáveis:
    Haddad
    10/09 – DataFolha – 9%
    11/09 – Ibope – 8%
    14/09 – DataFolha – 13%
    18/09 – Ibope – 19%
    20/09 – DataFolha – 16%
    De 10/09 (DataFolha) a 11/09 (Ibope) – 1 dia – Haddad teria caído 1% (dentro da margem de erro, que é de 2%;
    De 11/09 (Ibope) a 14/09 (DataFolha) – 3 dias – Haddad teria subido 5% (bem acima da margem de erro);
    De 14/09 (DataFolha) a 18/09 (Ibope) – 4 dias – Haddad teria subido 6% (bem acima da margem de erro);
    De 18/09 (Ibope) a 19/09*(DataFolha) – 1 dia – Haddad teria caído 3% (acima da margem de erro).
    O que será que aconteceu de tão grave contra Haddad entre 18 e 19 de Setembro? Nada de mau, mas muita coisa boa. Então, como se justificaria uma queda de 3% em 1 dia!?
    Podemos especular uma hipótese: diante do fracasso de seus candidatos (Alkmin e Meirelles) as elites representadas pela Globo, que não aceitam a vitória do PT e estão dispostos a fazer o que for preciso para evitá-la, teriam resolvido derrubar Haddad e inflar o Ciro (fizeram algo bem semelhante em 1989). Isso fica ainda mais visível quando o DataFolha simula o segundo turno em que Ciro é o único que aparece à frente de Bolsonaro. É verdade que o Ciro não é “querido” pela Globo, mas para eles é menos pior do que o PT. Ainda mais, eles podem estar achando que não seria difícil desestabilizar emocionalmente o Ciro, já na presidência (afinal, todos sabemos que a ternura não é o forte do Ciro) e, então, assumiria sua vice, bem mais confiável para a Globo.
    O problema é que há um setor de extrema direita que prefere o Bolsonaro, pois este seria desestabilizado ainda mais facilmente (todos conhecemos o temperamento altamente explosivo do Bolsonaro), assumindo seu vice que é um general.
    Resta comparar os resultados das pesquisas feitas pelos outros 3 Institutos (VoxPopuli; MDA e Ibope.
    • A pesquisa foi divulgada à zero hora do dia 20

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s