Lula é Haddad, Haddad é Lula, reconhece agora até o TSE. Mas vídeo não pode

1536585716_423498_1536590070_noticia_normal_recorte1
Haddad agora é Lula. Quer dizer, já era, mas agora o TSE autorizou

Fernando Haddad está virtualmente no segundo turno – e a pesquisa Ibope de quarta, 26, reforçou isso, com Jair Bolsonaro com 27%, Haddad com 21% e Ciro, nadando lá atrás, com respeitáveis, mas insuficientes, 12%. Lula está concretamente preso e inelegível — enquadrado na Lei da Ficha Limpa. Haddad assumiu a vaga de Lula na vigésima quinta hora. O PT resistiu o quanto pode para desistir da candidatura do ex-presidente – e foi criticado pela “estratégia arriscada”. Não era estratégia, era ética. Os entendedores entenderão. Os opositores criarão teses. Mas na eleição mais esquisita da moderna República brasileira, Haddad não podia dizer que é candidato de Lula – não sem controvérsia. Por que isso arrasta votos para Haddad, mais votos, o que é crucial desde que foi confirmado na cabeça de chapa — e Manuela D’Ávila na vice —, dando largada da operação em que o PT aposta todas as suas fichas nas eleições presidenciais: transferir ao menos parte do enorme capital político do ex-presidente para seu pupilo. Muitos ainda não o conhecem, só sabem que Lula, impedido, indicou alguém. No Nordeste, ele é “Andrade”. O sertão pernambucano onde Lula já teve 90% dos votos, o petista tem adesão mesmo sendo desconhecido. Como mostrou a Folha, muitos acham até que é filho de Lula. Ou ungido. Pensem bem, Haddad só foi oficializado no dia 11/09 – duas semanas atrás.

Pois a embalagem publicitária do “Haddad é Lula e Lula é Haddad” – nenhum outro partido tem interesse nisso, imagine um “Aécio é Alckmin” ou “Temer é Meirelles – só foi autorizada oficialmente agora pelo Tribunal Superior Eleitoral, num delay magnifico, permitindo, nesta quarta, 26, por 6 votos a 1, que a campanha do candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, utilize como slogan “Haddad é Lula”. Ministros analisaram e rejeitaram uma representação apresentada pelo Partido Novo – de João Amoêdo, pródigos 3% no Ibope – questionando propagandas da coligação do PT. Eles decidiram que a assinatura não gera confusão entre os eleitores sobre quem é o presidenciável da legenda.

O relator, ministro Sérgio Silveira Banhos – nomeado por Michel Temer na vaga aberta pelo atual ministro efetivo do tribunal Admar Gonzaga -, foi o único voto contrário ao uso do logotipo e afirmou que a marca poderia provocar “confusão” no eleitor. “A presença do nome de Lula pode sim levar o eleitor a certa confusão, o que enseja a a pronta remoção do logotipo”, disse. Os ministros Edson Fachin, Jorge Mussi, Og Fernandes, Tarcísio Vieira de Carvalho e Rosa Weber, presidente do tribunal, defenderam que, como a lei não proíbe esse uso do nome de Lula, deveria prevalecer o princípio da liberdade de expressão.

Por outro lado, o TSE rejeitou recurso apresentado pela defesa do ex-presidente para Lula gravar áudios e vídeos para a propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão.

candidatos-durante-o-debate-promovido-por-uol-folha-e-sbt-mediado-pelo-jornalista-carlos-nascimento-1538000982403_615x300
Mais um debate – agora UOL, Folha e SBT. Resta saber se ainda acrescentam algo para o eleitor. Bolsonaro “ameaça” participar dos próximos.

Nesta reta final da campanha, embora poucos tenham notado, teve até debate promovido por UOL, Folha e SBT, nesta quarta, 26, que rendeu ataques diretos entre candidatos, com frases e posicionamentos duros. Bolsonaro, ainda internado no Albert Einstein, não pôde ir. O candidato tem previsão de alta para agora, sexta-feira, e, segundo seu médico, ele poderá estar presente no debate da TV Record — que ocorre domingo —, assim como no da TV Globo, que será quinta que vem.

Haddad e Ciro trocaram cabeçadas. “Eu, francamente, se puder governar sem o PT, eu prefiro; porque, nesse momento, o PT representa uma coisa muito grave para o país, menos pelos benefícios, que não foram poucos, que produziu, mas mais porque transformou-se numa estrutura de poder odienta que acabou criando o Bolsonaro, essa aberração”, disse Ciro. “Acabo de ver o Ciro Gomes dizer que não pretende governar com o PT, mas, poucos meses atrás, me convidava para vice-presidente da sua chapa e chamava essa chapa de dream team, o time dos sonhos”, ironizou Haddad.

Bom, Cabo Daciolo foi Cabo Daciolo. Ele desceu o monte Céu Aberto, na Baixada Fluminense, onde estava em um retiro espiritual, para falar o que costuma falar. “Eu estou profetizando para a nação brasileira: eu vou ser o próximo presidente da República, para a honra e a glória do senhor Jesus, em primeiro turno, com 51% dos votos”. Se ele diz quem somos nós e os institutos para duvidar.

Um comentário em “Lula é Haddad, Haddad é Lula, reconhece agora até o TSE. Mas vídeo não pode

  1. Haddad é Lula! E quem quer impedir a marca é porque não tem uma brastemp como Lula.
    E o cabo, não poderia ter outro nome? Fui tentar encontrar a origem, e descobri que o primeiro nome do homem é Benevenuto. Interrompi a pesquisa.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s