Bozonaro presidente leva Brasil à beira de abismo onde pode cair – ou se salvar. Fascismo esbofeteou democracia e liberdade foi enclausurada. Mas nossa desgraça política será o purgatório para uma volta por cima

(Cenário: sentado em um bar, ouvindo os fogos de artifício da classe média entorpecida pelo ódio e espremida em frente ao condomínio rico, na Barra da Tijuca, onde mora o adorador de Brilhante Ustra, ouvindo Pink Floyd bem alto para abafar o discurso do ditador eleito e dos “comentaristas” da GloboNews, Mervais e tais, e para ter condições de escrever algo para meus leitores, mesmo em depressão política)

Não achei que teria condições de escrever esse texto se essa tragédia acontecesse – de verdade. Pensei em lacrar o blog. Consegui, afinal, deixar esse registro – para a posteridade. Ainda mais morando no Recreio dos Bandeirantes, vizinho da Barra da Tijuca, onde milhares de fascistoides de classe média, moradores de condomínios caros, saúdam, com suas mordomias, pensões fraudulentas e negócios escusos, com fogos e palavras de ordem, a ascensão de seu igual. É como panfletar no abismo, mas lá vai. Pausa para escutar Haddad, que, como Roger Waters, o inglês cabra macho que o nordestino Ciro Gomes não foi, falar em “resistir”. Defender seus 47 milhões de eleitores, eu, modestamente, entre eles. A maioria do povo brasileiro preferiu o ódio ao amor, trocou a chance da esperança pelo projeto do ódio, deixou de eleger um professor, um democrata – movidos pelo antipetismo, pelo direitismo e pela ignorância política – para entronizar um ex-capitão ignorante, preconceituoso, misógino, e que idolatra a ditadura e torturadores. Foram cerca de 10 milhões de votos de diferença e apenas o Nordeste a, majoritariamente, honrar o país novamente. Viva o Nordeste! – de novo. Mas são mais de 47 milhões de votos de uma nova oposição – que não é PT, é o Brasil democrático. Contra os que se apropriaram de nossa bandeira, de nosso hino, até da camisa da seleção.

fernando-haddad-pt-em-seu-primeiro-discurso-apos-a-eleicao-de-jair-bolsonaro-psl-1540769122459_615x470
“Talvez o Brasil nunca tenha precisado mais do exercício da cidadania do que agora. Eu coloco a minha vida à disposição deste país. Tenho certeza que falo por milhões de pessoas que colocam o Brasil acima da própria vida, do próprio bem-estar. (…) Não tenham medo, nós estaremos aqui”.
Fernando Haddad em discurso após a vitória do fascista Bolsonaro

A partir de janeiro o Brasil, que já teve o operário Lula e o sociólogo Fernando Henrique Cardoso como presidentes no pós-ditadura, terá pela primeira vez, pelo voto, de ser governado pela extrema-direita. Senhoras e senhores, com vocês Bozonaro, o candidato do nanico PSL, partideco de aluguel – assim como Collor, eleito pelo igualmente tosco PRN, e que sofreu algum tempo depois, um processo de impeachment por sua empáfia política, putrefação moral e incapacidade econômica – que já defendeu ao longo de sua vida militar e política medíocre praticamente todas as práticas antidemocráticas que existem. Serão anos de resistência, dias difíceis, como na ditadura. Dia após dia .

d03002d7-6bf7-44d6-ba87-98fde1e48a8a.jpg
No bar onde escrevo esse texto, a TV ligada na Globonews e funcionários incrédulos assistem o discurso do fascista Bolsonaro. “Vamos, junto ao Ministério da Educação, deixar de lado qualquer temática voltada para ideologia ou voltada para o desgaste dos valores familiares. A família estará em primeiro lugar”. Aguarda-se a primeira fogueira de livros “comunistas”

Como se confirmou, o discurso de Bolsonaro, seguido de uma coletiva tosca, não foi de união nacional, foi de divisionismo. Demonizou o “comunismo” e o “esquerdismo” e propôs, num discurso sem máscaras – transmitido em tempo real de sua casa, pelas redes sociais, com sua mulher de um lado, e uma tradutora de sinais, do outro -, que o “Exército” do país “marche” em sua só direção. “Não poderíamos mais continuar flertando com o populismo, o esquerdismo e o socialista da esquerda”, disse. Bolsonaro dividiu o país no voto e mostra que, votos contados, continuará mantendo essa divisão. Isso não tem precedentes em um país democrático – coisa que não somos, como se sabe, desde o impeachment fake de Dilma Rousseff por pedaladas fiscais.

Captura de tela inteira 28102018 155847.bmp.jpg
Ciro, o Cabra Frouxo, que preferiu admitir Bolsonaro e calcular uma candidatura para 2022, a apoiar Haddad no segundo turno. Enterro político e desonra a Leonel Brizola

A responsabilidade é de todos nós, que não fizemos o suficiente. De erros de estratégia política. Mas, principalmente, de um conluio entre um momento político atípico, a intromissão parcial da mídia cartelizada, uma eleição manchada por fake news pelo candidato da direita e um tempo curto demais para criar uma alternativa para as forças progressistas. Haddad e Manu mostraram-se, ao fim, as pessoas certas, mas faltaram alguns dias para a virada que se desenhava. E sobraram traições. Ciro Gomes, um Nordestino, região que liderou a resistência, se omitiu no segundo turno, traindo seu estado, o Ceará, sua região, a memória de Leonel Brizola, do PDT, seu partido de ocasião. Cabra frouxo que preferiu assumir o risco do país eleger Bolsonaro para ter alguma chance em 2022. Vai para o cadafalso dos traidores da Pátria.

Imagens temporarias 8.jpg
O inglês Roger Waters, fundador do Pink Floyd, zelou em seu tour por nossa democracia, em seu pelo Brasil, mais do que muitos brasileiros. Esfregou o #Elenão até na cara dos fascistas de Curitiba, 30 segundos antes da proibição de manifestações imposta pelo TSE

Ficam cenas (ainda ouvindo Waters) como o Estádio Major Antônio Couto Pereira, em Curitiba, penúltimo show da turnê de Roger Waters, fundador do Pink Floyd, que não se acovardou diante das ameaças de Bolsonaro e de ações judiciais que pediram para que não emitisse opiniões sobre as eleições. O #Elenão voltou ao telão do show, por 30 segundos, antes das 22h. Faltaram alguns minutos, Roger. Mas na próxima conseguiremos. Tudo uma questão de Time.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s