Com fracasso de Crivella no Rio, Igreja Universal do Reino de Bolsonaro, junto com outras “igrejas”, aposta em holding eletrônica de suporte ao governo fascista

O apoio de Edir Macedo a Jair Bolsonaro nas eleições não foi trivial, mas uma negociação em bases sólidas, que inclui um acerto do novo governo para solapar o poder das Organizações Globo – talvez o único projeto em comum com o PT -, com uma forte injeção de publicidade no Conglomerado Universal de Comunicações, ampliação de concessões de rádios e TVs – nos moldes ACM no Governo Sarney, versão Edir Macedo – e a criação de um bloco eletrônico de apoio ao governo fascista, similar ao que está sendo costurado no Congresso com as bancadas evangélica, ruralista e da bala. Tudo isso junto à manutenção da máquina montada nas redes sociais, que trocará as fake news contra o PT por good news pró-Bolsonaro. O ex-capitão ultradireitista é a grande esperança da Universal e de “pregadores” de outras denominações, como Silas Malafaia – mais um pastor eletrônico, da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, que está há 35 anos ininterruptos na TV, atualmente na Band -, Josué Valandro Jr. – pastor Presidente da Igreja Batista Atitude central da Barra, conhecido como “pastor da família Bolsonaro”, por ser “padrinho” da futura primeira-dama -, pastor Robson Rodovalho, da Sara Nossa Terra, e Marco Feliciano, o pastor metrossexual, ex-namorado de Alexandre Frota – segundo Frota! – que chegou a presidir a Comissão de Direitos Humanos da Câmara – para usar a máquina pública para favorecer grupos religiosos, manter sua santa isenção fiscal e trucidar direitos sociais, especialmente a causa LGBT.

Imagens temporarias 81
A holding dos crentes seguidores de Bolsonaro em ação: Edir Macedo, dono da Record e da IURD, que virou livro e filme; Marco Feliciano, o metro-pastor, no Pânico; de novo Edir Macedo, reencontrando Silvio Santos, do SBT, outro velho puxa-saco de ditadores; Silas Malafaia, o Jesse Valadão da Chanchada Crente, ora com a família no palco da Assembleia de Deus, ao vivo; e Robson Rodovalho, da Sara Nossa Terra, acarinhando o poder, no caso, Temer.

Com o retumbante fracasso administrativo do bispo da IURD Marcelo Crivella no Rio, que, mesmo admitindo concorrer à reeleição em 2020, tem menos chances de ser eleito que um demônio pedir dízimo durante exorcismo em Igreja, Bolsonaro tornou-se o “presidente dos sonhos” de quem quer mais do que levar fiéis para o céu. Este site tem informações seguras, baseado em contatos com fontes nas redações de diversos veículos afetados, que está sendo montado um rasteiro, mas eventualmente eficiente, projeto de poder, para tornar o Brasil uma República Fundamentalista, dessas que você se arrepia de ver assistindo episódios de “O Conto da Aia”. Com controle de redes sociais, diante da inoperância de seus “cuidadores”, e da mídia eletrônica, e conscientes que estão, como já disse Bolsonaro, referindo-se mais à Folha de S.Paulo, que a mídia impressa não apita mais nada,  pretendem ter o controle do noticiário. É muito claro que trata-se do espraiamento de um projeto de poder, formado por redações doceis, que nesta segunda, 05, foi marcado por uma limpa na TV Gazeta, que demitiu cerca de 80 profissionais, após um restabelecimento de “negociações com a Igreja Universal”. Além do diretor Dácio Nitrini e o editor-chefe Sérgio Galvão, foram dispensados todos os demais componentes da cúpula do jornalismo, comentaristas dos telejornais, inclusive Bob Fernandes – uma das poucas vozes ponderadas a questionar o significado da eleição de Bolsonaro – e o apresentador Rodolpho Gamberine, que recebeu a notícia em Paris, em férias. Só restou no Departamento de Jornalismo o suficiente para cumprir a cota de jornalismo exigida das concessões de rádio e TV.

Ali perto, no SBT, outro camelô de espaços editoriais, Silvio Santos, dono do SBT – e criador da nefasta “Semana do Presidente”, no governo do ditador João Figueiredo, e que seguiu até FHC -, vejam só, reencontrou-se após 17 anos, com o dono da Record, ele mesmo, Edir Macedo. Tiveram, no Templo de Salomão, em São Paulo – a nababesca sede da Igreja Universal em São Paulo -, uma “conversa produtiva”. O Domingo Espetacular, capitaneado por Paulo Henrique Amorim, vejam só, o isentão, exibiu “com exclusividade esse momento inédito na televisão brasileira”. Histórico para quem, PHM? Que Conversa Fiada, hem? E assim vai se formando, Record, Gazeta, SBT, quem sabe Band, a Rede Bolsonaro de Televisão. Agora se entende porque Bolsonaro quer extinguir a emissora pública do governo federal controlada pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC). Pra que? Ou talvez ele mantenha – atenção, coleguinhas que votaram no Bozo, vamos acochambrar: Bolsonaro considera manter algumas emissoras controladas pela EBC – TV Brasil, TV NBR, rede da Rádio Nacional e Rádio MEC, além da Voz do Brasil. Para serem, claro, usadas como principal meio de comunicação com os eleitores. Mas mantenham-se reaças, inclusive nas mídias sociais. A parte evangélica e reacionária do pedaço está bem administrada.

E para não dizer que não falei dos católicos, Bolsonaro, que, por sinal concedeu entrevista à rádio católica TV Aparecida, foi linda a omissão da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que, como Pilatos, lavou as mãos no segundo turno entre Deus e o Diabo, enquanto a tal Confederação dos Conselhos de Pastores do Brasil e suas igrejas afiliadas engajou-se com sermões e dízimos na campanha do Cramunhão. A CNBB vai comer o pão que o diabo amassou. A Universal, que já é dona da TV Record – fora o portal R7 e rádios em todo o país -, vai comandar o resto do pedaço. E bem-vindos ao conto da Aia.

Um comentário em “Com fracasso de Crivella no Rio, Igreja Universal do Reino de Bolsonaro, junto com outras “igrejas”, aposta em holding eletrônica de suporte ao governo fascista

  1. Parece um grande projeto, mas não sabemos se eles conseguirão coordenar essas estruturas e suas vaidades. Caso se concretize será um controle quase total das mentes fracas, mas nós continuaremos resistindo!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s