Teorias conspiratórias

O ex-presidente Juscelino Kubitschek teria sido alvo de um complô do regime militar para assassiná-lo. A história oficial é de que ele morreu num acidente de carro na via Dutra, em 22 de agosto de 1976. Pela teoria conspiratória, que já virou até comissão parlamentar, o motorista Geraldo Ribeiro, que conduzia o Opala no qual viajava JK, pode ter sido atingido por um tiro antes de perder o controle do automóvel e causar o acidente. Deposto pelo golpe militar de 1964, Jango morreu 12 anos mais tarde no exílio. O laudo oficial indica infarto como causa da morte. Mas sua família sustenta até hoje que ele foi envenenado. A Comissão Nacional da Verdade chegou a pedir a exumação do corpo do ex-presidente no final de 2013. A hipótese dos familiares é que a morte de Jango foi orquestrada por agentes da Operação Condor – plano de cooperação entre militares de Argentina, Chile, Paraguai e Brasil para eliminar esquerdistas latino-americanos. Pouco antes de tomar posse, em 1985, o presidente eleito Tancredo Neves foi internado às pressas em função de uma diverticulite intestinal. Ficou 38 dias internado e passou por sete cirurgias antes de morrer, no dia 21 de abril. Ele seria o primeiro mandatário civil após 21 anos de ditadura militar. Boatos de envenenamento correram o país. Também circulou a hipótese de um tiro, supostamente mantido em segredo para que a transição ao regime democrático não fosse ameaçada. Oficialmente, Tancredo Neves morreu em decorrência de complicações pós-operatórias. Nenhuma dessas teorias conspiratórias foi provada – o que não impede que novas surjam, o que é mais comum em regimes fechados e pouco transparentes.

O próprio “atentado” contra Jair Bolsonaro segue gerando polêmica, não importa o que já disse a polícia. Foi a primeira teoria da conspiração. A mais nova está em gestação. Será que Bolsonaro vai ter uma “diverticulite” fatal na mesa de operação do ‘Hospital de Base’ Albert Einstein e Mourão, o pacificador, novo darling da mídia, assumirá o timão? Essa é a teoria conspiratória do momento e, na minha opinião exorcizá-la em palavras ajudará a evitar que isso aconteça. Não faltam Mães Dinahs especulando sobre a cirurgia marcada, desmarcada e remarcada para a próxima segunda, 28. Não há base teórica real. Exceto pelos insistentes posts do pimpolho favorito Carluxo Bolsonaro insistindo que o pai sofreu, em setembro, uma tentativa de assassinato orquestrada por gente próxima a ele, que o queria e ainda o quer morto. Que pessoas próximas ele não diz. Também ajuda a alimentar os corvos a lógica da decomposição de Bolsonaro já nas primeiras semanas de governo, afetado pelo escândalo do filho senador eleito Flávio e pela agora nítida incapacidade de gestão e delegação plena de poderes a um grupo eclético de quatro estrelas, economistas de Chicago e ao juiz de Curitiba.

As teorias estão aí, coincidindo ou colidindo, mas todas indo parar no centro cirúrgico de Bolsonaro. Uma delas, falsa, obviamente, é de que Bolsonaro está com câncer terminal e a facada que ele levou foi encenada para ele passar por cirurgia de alto risco. Mas é isso, a característica comum das teorias conspiratórias é que elas evoluem para incluir provas contra si próprias, de modo que se tornem infalseáveis e, como afirma o estudioso Michael Barkun, “uma questão de fé em vez de prova”.  Isso explica prosperarem ainda hoje, era da ciência e da tecnologia, mas também da religião e do misticismo,  teorias como da dominação universal pelos Illuminati ou da Terra Plana.

Pessoalmente, yo no creo en brujas, pero que las hay, las hay.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close