Sara Winter Nossa Terra

“Tia” Damares Alves, ministra da Família, Mulher, Direitos Humanos e do Pé de Goiaba, tem muitas qualidades, e uma delas é sua capacidade de liderança, com seus olhinhos miúdos e seu magnetismo sobre-humano, coisa de quem já viu Jesus na Goiaba – zombem, seus ímpios!. Uma head hunter nata. O gabinete da ministra em poucos dias desde a posse já se tornou um hub inter-religioso. Consta que de tardinha ela puxa uma reza diariamente em seu escritório, que já se transformou numa espécie de Meca da Esplanada. Ah, ela nega que realize o culto, e acusou o “colonista” da Veja que deu a nota a visitar suas instalações. Se ele não for, eu aceito o convite, ministra! Mas falávamos da capacidade ímpar de “Tia” Damares de escalar um time de notáveis para seu ministério sopa de letrinhas. A mais recente, confesso, me comoveu. A visionária da goiabeira – que se apresenta como “mestre em educação, em direito constitucional e direito da família” sem ter qualquer título de mestrado, exceto, claro, seu qualitativo bíblico – prepara a nomeação da “ex-feminista” Sara Winter para a Secretaria Nacional da Mulher. A jovem de 26 anos, como se sabe, ficou conhecida primeiro por ter fundado no Brasil, em 2012, uma filial do grupo feminista ucraniano Femen e liderado manifestações de mulheres de topless. E, depois de se tornar cristã – sim, existe a ex-feminista -, Winter passou a se declarar antifeminista e militar contra o aborto. Ela também prega contra a homossexualidade.

Leia mais sobre “Tia” Damares aqui, aqui e aqui:

Imagens Temporárias 12.jpg
A camaleoa Sara Winter em diferentes momentos: de protestante feminista do Femen a protestante da Célula Goiabeira da “tia” Damares

Não foi só agora, sejamos justos, que a moça virou a chave. Durante as eleições de outubro, a ex-militante até organizou, no Rio, um ato em favor do então candidato Jair Bolsonaro como uma resposta às manifestações do #EleNão, quando mulheres se reuniam para protestar contra a então inexorável eleição de um machista, sexista, homofóbico e misógino. Na ocasião, ela concorria a uma vaga de deputada federal. Pelo DEM. Infelizmente não conseguiu votos suficientes para se juntar à briosa bancada de Joice “Madame” Hasselmann e Alexandre “Brasileirinhas” Frota. Recordar é viver. No tempo de militante feminista, Sara saiu às ruas com #ForaBolsonaro pintado nos seios. Em maio de 2016, no entanto, ela anunciou “a parceria política” com o então deputado federal. Na ocasião, Bolsonaro gravou um vídeo ao lado dela dizendo que a ex-feminista estava “curada.” A biografia de Winter, publicada em seu site, diz que “a escritora militava contra o cristianismo, em favor da homossexualidade e do aborto.” Após ter um filho em 2015, Winter escreveu o livro digital “Vadia, Não! Sete Vezes que Fui Traída pelo Feminismo”, no qual se propôs a contar os bastidores do movimento de mulheres no Brasil. Winter, agora, se anuncia como uma “ativista pró-vida” e pede ajuda financeira para ajudar “a salvar bebês da monstruosidade do aborto”. “Prefiro ser um instrumento de Deus a um instrumento da esquerda”, diz em seu site. Ela esqueceu de mencionar em seu currículo que foi expulsa do Femen por bom comportamento.

Um comentário em “Sara Winter Nossa Terra

Deixe uma resposta para adcarrega Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close